domingo, 5 de maio de 2013

A METAMORPHOSE

raffael petter
Abro a janela.
E sinto o maravilhoso aroma da laranjeira em flor rescender e de súbito, vejo um pequenino ser.
Na verdade, aquele pequenino ser não passava de uma lagarta gorda e verde com pelugem amarela e reluzente.
Ela caminhava morosamente por uma das tantas flores da laranjeira. Andava sem pressa como se o mundo não lhe existisse, parecendo estar ciente de cada ato seu.
Um tempo se passa...
E eu, novamente, abro a janela. É outono dessa vez. A velha laranjeira perdera seu frescor, o seu viço primaveril de momentos atrás para dar lugar à algo decadente.Raquítica quase sem folhas e  as poucas que haviam restado, balançavam ao sabor do vento esperando o momento da grande queda...
Um estalo eclode em minha mente...
Procuro no mesmo instante pela lagarta de antes; porém, encontro apenas um casulo...  
A lagarta de outrora se fechara num mundo interno que ela mesma criara, talvez, para se proteger do mundo externo ou, porque ela esteja se preparando para enfrentá-lo.
Um tempo se passa como das outras vezes e como nas outras vezes, abro a janela.
A estação: verão. Deito meu olhar para laranjeira que se levantava em direção ao firmamento azul de sol ardente a iluminar-lhes as folhas verdejantes. Recuperara o viço de antes...
Procuro, pela lagarta que tecera ao redor de si seu próprio mundo.
Não a encontro.
Contudo, reparando melhor, a encontro, mas não em forma de larva ou crisálida, mas sim em forma de uma bela borboleta.
Borboleta de asas abertas para o mundo. Asas violáceas que romperam o mundo que ela criara para si e no qual durante um período de dias, ficara aprisionada, fortalecendo-se para viajar com suas próprias asas.
Eis, a metamorfose da larva em crisálida e na crisálida em borboleta, que finalmente solevava-se delicadamente no espaço como se fosse um pedaço quebrado, dum vitral, fabricado pelas mãos da mãe natureza...
Enfim, decido romper, assim, como fez o inseto, às barreiras feitas por mim.
Decido, enfim, saltar pela janela em direção ao mundo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique a vontade para comentar as séries,contos ou crônicas que posto aqui no blog.
Saber a sua opinião é muito importante para mim.