quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Terror do Cotidiano,12- Heil Hitler,Heil Hitler!

A noite caíra por completo a mais de uma hora. Marx,corrigindo a prova de historia que aplicara naquela tarde,nem vira o tempo passar de tão concentrado que estava.Olhou para o relógio em seu pulso e de repente, lembrara-se do jantar comemorativo que teria com Eliza, sua mulher. Iriam comemorar os cinco anos de casados. A prova era sobre a Segunda Guerra Mundial. A prova que aplicara naquele dia era uma espécie de análise para ver se os alunos haviam apreendido direito. Ao seu ver, a maioria dos estudantes haviam compreendido como a guerra surgira e seus efeitos quando acabara. Mas dentre todas as outras provas, uma em especial lhe chamara a atenção:
Opine sobre as atrocidades ocorridas durante a Segunda Guerra Mundial:
HITLER É O PODER. É A ESPECIE MAIS EVOLUIDA DENTRE TODOS OS OUTROS SERES HUMANOS.JUDEUS , NEGROS E  HOMOSSEXUAIS DEVEM SER EXTERMINADOS.
Duas linhas escritas com caneta vermelha em letras maiúsculas e nada mais.Anotou em seu diário de escola o nome do aluno com o qual deveria conversar na manhã seguinte. No entanto, Max teve um estalo repentino e inconsciente. Levantou da mesa, enfiando com pressa e de qualquer jeito as provas corrigidas dentro duma pasta de couro preta e saiu da sala.
***
Fora até a sala da diretora. Ela não estava lá .Pegou do telefone: ele estava mudo.
***
Max se lembrava com clareza as palavras ditas por Hercovitch e seus amigos ,ao aluno novo,Isaac:
-O que esse judeuzinho de merda faz aqui nesta escola? Como uma criatura como ele ousa manchar o mesmo chão que pisamos?
E antes que Isaac desferisse um soco na cara de Hercovitch,Max segura  o punho de Isaac:
-Vá para diretoria imediatamente,Hercovitch!
-Mas,Max ele é um...
-Não me interessa o que ele é ou seja,quero apenas que você vá para sala da diretora!Agora!
Hercovitch ,vermelho de raiva, marcha em direção a sala da diretora.
***
Parou em frente ao laboratório da escola.As luzes estavam acessas. Estranhou ,pois os únicos que ainda estavam na escola (pelo menos era o que pensava) eram ele e a diretora.Olhou pela quadrangular janelinha da porta e não acreditara no que os seus olhos viram: o menino Isaac preso a uma maca,debatendo-se tentando livrar-se das amarras que o prendiam,seus gritos eram abafados por um pano posto em sua boca.
Ao lado dele estava, Hercorvitch e seus amigos , vestidos de branco.
Max tentou ligar para polícia só que o seu celular não estava no bolso.Procurou na pasta e nada também.
Súbito, as vozes desafinadas dos garotos que carregavam em sim a inocência da infância e maldade adulta, começam a proferir:
-Heil Hitler!Heil Hitler!Heil Hitler!Heil Hitler!
E a cena que o chocara e que iria lhe perturbar por todo o resto da vida ,se sucede:
A diretora travestida de nazista ( mas parecia um cosplayer de Adolf) aproximasse dos garotos e diz:
-Purifique este ser impudico!
Max não conseguiu entender muito bem como a diretora aparecera ali. Alias ,não entenderia a sucessão de fatos assistia em cadeia.
Hercorvitch empunhou um tubo de ensaio e o exibiu por um estante no ar como se ostentasse um estandarte nazista. Vascolejava o liquido do recepcionante, como seu houvesse algo de precioso nele,algo mistico ,algo que contivesse o segredo entre a vida e a morte. Isaac observava tudo como uma mosca indefesa enredada na armadilha morta de uma aranha faminta.
Gritou ,uma. Gritou ,duas. Gritou,três. Contudo,gritaram mais quando o jovem Andrei Hercovitch lhe derrubara no rosto, sem hesitar a nenhum momento, acido sulfúrico.
Max gritou em agonia lancinante, num desespero quase louco em ver o aluno agonizante a se remexer no leito. Tentara arrombar a porta ,mas antes que pudesse arromba-la .Mãos frias e enluvadas de branco taparam a sua boca.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique a vontade para comentar as séries,contos ou crônicas que posto aqui no blog.
Saber a sua opinião é muito importante para mim.